MENTE magra, CORPO magro

E possível exercitar a mente para passar naturalmente a preferir alimentos saudáveis e ficar longe das calorias

Você não consegue se imaginar resistindo a um sundae transbordando de caldas, nem cogita a possibilidade de recusar um pedaço de pizza? Para os menos crédulos, um alento: é possível, sim, passar impune por toda e qualquer guloseima e, conseqüentemente, emagrecer. Para isso, é necessário atingir o auto-convencimento, ou seja, você precisa se convencer de que deve e pode perder peso. O segredo é emagrecer a mente. Não é tarefa simples. Afinal, mudar a cabeça exige grande poder de concentração e capacidade de modificar hábitos e conceitos, provavelmente instalados no cérebro desde que você se conhece por gente. Mas profissionais que trabalham justamente com os pedacinhos mais profundos da mente asseguram que dá para emagrecer o pensamento. Há várias técnicas para isso. E o ponto de partida de todas é a consciência e a vontade de embarcar nessa “viagem”.

Para Maria Eliza Zuccon, idealizadora e diretora da Meta Real,O auto-questionamento é o melhor exercício para modificar crenças erradas e maus hábitos alimentares. ‘Toda vez que você se faz uma pergunta, automaticamente é forçada a pensar, a questionar e, com o tempo, pode aprender a dominar a compulsão”, ensina. “O que eu gosto mais: de comer ou de ser magra?”; “Qual é o seu conceito de alimentação normal? Por acaso é aquele que engorda? Se engorda, não é normal”. Com frases assim, Maria Eliza garante que é i possível abortar a compulsão. Ela mostra outra arma eficaz nessa missão: l exercícios de auto-imagem. As pessoas ~ que estão emagrecendo perdem o referencial de como vão ficar. Além disso, ~ há a pressão da família e dos amigos com os famosos comentários do tipo “nossa, você está emagrecendo demais, desse jeito vai acabar doente”, ou, então, “assim já está bom, melhor parar, quase não a reconheço”. Maria Eliza explica: “Quem perde 20 quilos muda mesmo. No fim da dieta, é outra pessoa. Mas no fundo quer ser reconhecida por ser e a mesma. A saída para não dar um nó na cabeça e comprometer o tratamento é fazer uma montagem de imagens: recorte de uma revista um corpo bonito, harmonioso, que desperte sua empatia. Depois, encaixe o seu rosto sobre esse corpo. Pronto! Estará dado ao cérebro um referencial de corpo magro, de como você vai ficar. Paralelamente, a Meta Real bate na tecla das mensagens que podem ser lidas e relidas à exaustão. A mente acaba convencida da veracidade e da importância delas e, com o tempo, cria um sinal “vermelho” quando as mãos ameaçam avançar sobre alimentos engordativos. “São mais de mil frases fortes que causam grande impacto em quem deseja perder peso”, diz Maria Eliza.

REEELAAAXE…
• escolha um ambiente tranqüilo e quieto .. O segredo é aprender a relaxar em condições ideais para poder fazê-lo sob condições adversas.
• Deitada ou sentada, tanto faz;. O importante é que todos os músculos do corpo estejam apoiados .. Se for sentar, por exemplo, cuide para apoiar os braços nos braços da cadeira e manter os pés no chão.
• Inspire lentamente pele nariz. Imagine um balão inflando na altura do abdômen.
• Expire aos poucos. Imagine o balão se esvaziando.
• O ideal é relaxar e dar 5 a 20 minutos, Se não tiver disposição e/ou, disponibilidade, fracione esse tempo e faça mais vezes,
• Mentalize formas. positivas.
• Nas suas mentalizações, evite expressões negativas. Em vez de “não posso comer isso”, diga “quero comer algo mais saudável”.

RELAXAR é IMPORTANTE PORQUE:
• diminuí a atividade mental e possibilita uma melhor mentalização.
• estabelece um estado de equilíbrio para poder se exercitar,
• irriga o organismo e melhora a metabolização dos alimentos.
• reduz a ansiedade, fator de peso na obesidade.

Relaxar é muito importante

Tais exercícios, segundo ela, ajudam a deixar de pensar em comida quando não se está com fome. Ou seja, quem está fazendo compras numa loja de material de construção não tem motivo para ficar sonhando com os quitutes da lanchonete mais próxima. A mentalização das frases ajudaria a exorcizar os lampejos de gula. Fora isso, Maria Eliza salienta que é preciso saber ouvir o próprio corpo. “Magro não é magro porque faz dieta, mas porque ouve o corpo. Não comer feijoada logo ao acordar não significa não gostar de feijoada, mas saber a hora certa de comer. Quem quer perder peso deve abrir mão de atender à fome psicológica. É preciso comer apenas quando se tem fome fisica. Daí a necessidade de se aprender a identificá-la.” Ela assegura que fazendo os exercícios sistematicamente, em 28 dias é possível passar a ter pensamento de magro. Em sete dias se condiciona a mente. Mais sete para sedimentar os hábitos. Com 21 dias, o novo comportamento liga o “piloto automático” e, aos 28, já dá para estar “andando bem” …

É preciso criar uma imagem mental clara de como, você quer ficar depois de emagrecer.

NOVOS ARQUIVOS

Susan Leibig, diretora do Instituto de Engenharia Humana, é especialista em programação neurolinguística e usa a técnica para emagrecer o pensamento. A ideia é mudar a maneira como a pessoa vê e representa internamente a realidade. Trocando em miúdos: enquanto uma pessoa se vê gorda e acha impossível perder peso, não d.á para afinar as medidas. Seguindo as premissas da programação neurolinguística, a primeira providência é modificar essa representação interna e “regravar” nova mensagem. Ou seja: mesmo com o corpo ainda gordo, a pessoa passa a ter a “alma” de alguém magro.

Para tal convencimento, são empregadas algumas técnicas. Primeira: filosofar e organizar a relação com a comida. Você come para viver ou vive para comer? O objetivo é fazer “cair a ficha”

de que está encarando o prato de maneira errada. Segunda: como não poderia deixar de ser, é preciso modificar os hábitos alimentares. Nada a ver com o método tradicional de ouvir conselhos e explicações de médicos e nutricionistas e partir para legumes, verduras, frutas e carnes magras. Aqui,

o caminho é abreviado graças a uma metodologia específica da programação neurolinguística: os exercícios de visualização que, segundo Susan, são ~ capazes de reprogramar todo o arquivo 6 alimentar da pessoa. “A programação neurolinguística possibilita deletar arquivos dos alimentos supercalóricos, substituindo-os por outros mais saudáveis e de baixas calorias, Após reprogramar o arquivo alimentar, quando pensar em comida, automaticamente terá a imagem de um pratão de alface”, assegura. Embora o tratamento dependa de cada um, ela garante que um curso de dois dias é suficiente para reorganizar os tais arquivos e começar a emagrecer com a mente “nova em folha”.

DENTRO DA CENA

Você se lembra de quando se imaginava ser a mocinha da novela das oito

ou a cantora famosa no palco de um estádio lotado? Era tudo fantasia mas … parecia tão real, não é mesmo? Partindo exatamente do princípio do uso da imaginação é que essa técnica vem fazendo bastante sucesso nos tratamentos para emagrecer. Ana Maria Rossi, doutora em Psicologia, especialista em estresse e autora do livro Visualização – O Sucesso através dos Olhos da Mente, considera a visualização “a técnica mais poderosa

que existe”. Segundo ela, o sistema neurológico induz o organismo a reagir às imagens como se elas fossem reais. A técnica da visualização consiste justamente em transformar em realidade cenas da imaginação.

Funciona assim: depois de uma sessão de relaxamento, visualize cenários e situações em que você vai estar “de frente para o perigo”. A mesa farta daquela festa, a gordurinha reluzente da picanha da churrascaria, os doces do aniversário da sobrinha … Você precisa mergulhar profundamente na cena e interagir com seus elementos. Imagine-se numa festa, a mesa

cheia de coisas apetitosas, a decoração, os aromas, o garçom lhe oferecendo um petisco. Mentalize frases como “posso me controlar, o apetite não controla minha fome; minha mente é que controla o apetite”; “quero comer algo mais saudável do que essa coxinha, quero uma alimentação que me deixe mais bonita e atraente”.

Ana Maria afirma que a prática da visualização possibilita transferir involuntariamente essas imagens para a vida real. Para obter sucesso, ela aconselha um treino diário. “Quem não tem tempo ou disciplina para fazer horas a fio, não precisa se preocupar. Vale mais a freqüência do que o tempo de exercício propriamente dito. Você pode mentalizar vários flashes de cinco segundos ao longo do dia que já são suficientes.”

A técnica de visualização permite reprogramar os seus arquivos mentais. Assim, quando pensar em comida, você vai passar a imaginar apenas alimentos saudáveis

Embora a técnica se chame visualização, é possível usar os cinco sentidos para montar as cenas e driblá-las no imaginário. Você pode ouvir a voz de alguém lhe oferecendo algo para comer, pode sentir o sabor doce ou salgado, a consistência líquida ou pastosa, sentir quanto pesa aquele canapé, o cheiro da torta saindo do forno… O importante é reforçar as barreiras para conseguir recusar ou aceitar com moderação tais “perigos”. Segundo Ana Maria, dá certo. “Estudos americanos confirmam que de 900/o a 950/o das pessoas que usam a técnica conseguem bons resultados. Perdem peso, mesmo, sem fome, sem sofrimento, sem ficar se cobrando”, garante.

Funciona? Levando em conta a frase de Buda que diz que “somos aquilo que pensamos”, tudo indica que sim.

Pare e pense! Frases de Meta Real para refletir!

  • Vou tentar emagrecer é muito diferente de “eu viu emagrecer”.
  • Torne seu objetivo de emagrecer valioso. Isso se consegue com esforço extra, um entusiasmo estra, uma honestidade extra, assumindo responsabilidades.
  • Não conte com a força de vontade dos outros. Conte com a sua. É você que emagrece e permanecer magra.
  • Você só tem hoje para emagrecer, amanha sera sempre amanha.
  • Os seres humanos necessitam de quatro tipos de nutrição: física, emocional, intelectual e espiritual. O alimento de uma não assumo a outra.
  • A comida em si atende somente a uma sensação e não de uma emoção ou sentimento.
  • Não se emagrece tudo em uma refeição, masas poucos, Planeje objetivos intermediários, não tente abocanhar tudo de uma só vez.
  • A melhor maneira de emagrecer é manter a boca fechada durante as refeições. E fechada nos intervalos.
  • O “sacrifício” de mudar os maus hábitos alimentares passa, mas a beleza e a leveza conseguidas com o emagrecimento ficam.
  • Quando você trapaceia na alimentação, comete um crime com a vitima: você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Bloqueado Para Copia