Barrinhas: Segure essa Barra! (Com Dica de Receita)

Elas devem, sim fazer parte do seu cardápio. Mas são tantas marcas e tipos de barrinhas à venda que é preciso escolher bem. A seguir, dicas para optar e usufruir do melhor dessas aliadas da sude e boa forma.

Não é por acaso que as barrinhas de cereais se tornaram mania entre as pessoas preocupadas com a forma física. Basta rasgar a embalagem e o lanche instantâneo está pronto! Práticas e gostosas, são opção vantajosa para substituir chocolates, salgadinhos e biscoitos na hora de matar a fome entre as refeições, seja pelas calorias ou pelo valor nutricional. Por tudo isso, viraram sucesso: elas não param de chegar ao mercado com novas propostas e sabores. São barras convencionais, energéticas, proteicas e substitutivas (vejo no página seguinte). Vale conhecer cada tipo para saber qual o mais indicado para você. Agora vamos nos concentrar nas primeiras, que são as mais comuns e consumidas em maior quantidade …

Potencialidades do item

Em princípio, as barras de cereais significam ( dependendo, claro, da composição) alimentação de qualidade: além de ricas em proteínas e carboidratos complexos, utilizam açúcar não-refinado, gorduras insaturadas e fibras na composição. “Os carboidratos complexos, presentes nos cereais integrais, liberam o açúcar gradativamente, diminuindo a sensação de fome, enquanto as gorduras insaturadas aumentam o bom colesterol”, explica Flávia Morais, nutricionista da rede de produtos naturais Mundo Verde, de Petrópolis (RJ). As fibras, por sua vez, contribuem para o funcionamento do intestino e protegem contra o mau colesterol e o diabetes tipo 2.

Para o emagrecimento, os alimentos fibrosos são, aliás, fundamentais: aumentam sete vezes de volume no estômago, fazendo com que se coma menos nas refeições e trazendo impressão de saciedade. De acordo com a FDA (Food and Drug Administration), órgão responsável pelo controle de qualidade dos itens de alimentação nos Estados Unidos, deveríamos ingerir cerca de 20 g de fibras diariamente. Como calcula-se que 900/o das pessoas não conseguem consumir essa quantidade nas refeições do dia-a-dia, ponto para essas opções industrializadas do bem.

Gato e lebre

Muitas trazem, sim, ingredientes saudáveis: frutas desidratadas e cristalizadas (como banana, ameixa), sementes (como gergelim) e cereais integrais (flocos de aveia e de milho). Outras contêm castanha-do-pará, rica em selênio, elemento antioxidante que favorece a regeneração celular. Há as que ofereçam, contudo, menos qualidade nutricional e mais pareçam um doce. “Com tantos tipos de barras à venda, deduz-se que nem todas seguem a ideia inicial. Leia o rótulo, compare sabores e marcas e evite as que contenham chocolate, flocos de arroz, açúcar refinado e gordura saturada”, alerta a nutricionista Catarina Stocco, de Curitiba (PR).

Ideais para serem integradas às dietas, encontram-se nas prateleiras barras light e diet e até opções salgadas. Lembre-se, porém, de que nem sempre as light (com 500/o a 800/o menos gordura) são de baixas calorias – algumas reúnem 120 calorias. Ou vice-versa: existem barras de baixas calorias (com 70 ou 80) que são ricas em gordura saturada, como é o caso daquelas feitas com chocolate. Já as versões diet, produzidas com frutas e cereais integrais, contêm em geral entre 50 e 80 calorias e zero de gordura saturada. Para a dieta, a nutricionista Flávia Morais recomenda o consumo de, no máximo, duas unidades de 60 calorias por dia, pela manhã ou à tarde, quando o metabolismo acelera.

Qual é a mais indicada na dieta?

Além de uma variedade enorme de sabores, com mais ou menos calorias, há barras com propostas alimentares diferentes – por isso atenção é fundamental na hora de escolher. Veja quatro tipos:

Convencionais

São as mais conhecidas, até por terem sido as pioneiras. A maioria contém cereais, fibras, frutas secas e frutas desidratadas, sem nutrientes extras. Nessa categoria, destacam-se basicamente dois grupos: as integrais e as comuns. ”As primeiras são realmente um lanche saudável e balanceado, já que trazem na composição cereais integrais e nada de gordura hidrogenada ou açúcar refinado”, esclarece Flávia Morais. Mas atenção: aquelas com cobertura de chocolate, açúcar branco e flocos de arroz refinado são mais calóricas, ricas em gordura e nutricionalmente mais pobres. Entre as convencionais, há várias opções light e diet, próprias para uma dieta de emagrecimento.

Substitutas de refeição

Criadas especialmente para quem quer perder peso, sua formulação objetiva manter um completo equilíbrio nutricional como substitutas do lanche da manhã ou da tarde. Segundo os fabricantes, essa característica faz com que o produto seja ideal tanto para a manutenção das formas como para o emagrecimento com saúde.

Proteicas

Indicadas preferencialmente para quem pratica atividade física intensa, são também chamadas de compensadoras por suprirem a perda de proteínas ocorrida durante os exercícios – cada barra tem de 15 g a 40 g do nutriente. Em relação a um peito de frango ou a um pedaço de queijo, por exemplo, apresentam maior ‘biodisponibilidade’, ou seja, sua proteína é mais facilmente metabolizada pelo organismo e transformada em energia ou massa muscular. “O frango, depois de percorrer todo o trato digestivo, disponibiliza apenas 300/o do total de proteínas para o organismo – o restante se perde no trajeto”, explica José Damigo, de São Paulo (SP), diretor da empresa de nutrição Nutrilatina. A proteína desse tablete, ao contrário, é total e rapidamente assimilada, pois é composta de concentrados que passaram por um processo tecnológico de pré-digestão durante sua fabricação. Essa categoria oferece vários sabores, que incluem frutas e chocolate.

Energéticas

Particularmente recomendadas para esportistas, têm a função de gerar energia para a atividade física. Só que, ao contrário das proteicas, devem ser consumidas antes da sessão de exercícios. Diferentemente das barras comuns, cuja energia vem dos flocos de cereais e do açúcar, estas aqui contêm ingredientes específicos ( como acerola, açaí e guaraná) que estimulam o metabolismo basal e garantem mais disposição para a prática esportiva. Além dos energéticos naturais, oferecem também preparados de frutas cristalizadas (como laranja, mamão, uva passa, banana ou maça), maltodextrina (açúcar de milho) e frutose.

Atenção

Independentemente do tipo, a digestão das barras exige muito liquido. Por isso, tome mais água ao longo do dia.

Faça Em Casa:

Que tal preparar você mesma uma deliciosa barrinha? A da receita abaixo é rica em fibras, sais minerais e vitaminas e não leva açúcar nem gordura. Anote ai!

  • Calorias por porção: 127
  • Preparo: 30 min
  • Porções: 12

Ingredientes:

  • 5 damascos secos
  • 4 tâmaras sem caroço
  • 2 figos secos
  • 10 uvas passas
  • 3 colheres de sopa de semente de girassol
  • 4 avelãs ou nozes
  • 11 colheres de sopa de flocos de aveia
  • 4 colheres de sopa de suco de limão
  • 4 colheres de sopa de suco de maça

Modo de Fazer:
1 – Pique as frutas e misture-as bem com os flocos de aveia.
2 – Despeje em uma forma untada, de 18×18 cm, leve ao forno pré aquecido por 15 minutos
3 – Tire a massa da forma e corte em 12 barrinhas enquanto estiver quente.
Deixe esfriar e siva. Delicia!

Texto: Mariana V.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Bloqueado Para Copia